Dólar opera em alta após adiamento da votação da Previdência na CCJ

Leia Mais

+55 (41) 3223.2828

Taxas de Câmbio

Dólar abre em queda nesta segunda-feira

Dólar abre em queda nesta segunda-feira

Na sexta-feira, o dólar fechou em queda de 0,39%, R$ 3,8691, mas acumulou alta de 2,38% na semana.

Por G1

11/03/2019 09h10  Atualizado há 20 minutos

  Notas de dólar em casa de câmbio em Jacarta, na Indonésia. — Foto: Hafidz Mubarak/ReutersNotas de dólar em casa de câmbio em Jacarta, na Indonésia. — Foto: Hafidz Mubarak/Reuters

Notas de dólar em casa de câmbio em Jacarta, na Indonésia. — Foto: Hafidz Mubarak/Reuters

 

O dólar abriu em queda nesta segunda-feira (11), com a tramitação da reforma da Previdência no foco, em semana que deve ter a instalação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na Câmara.

Às 10h57, a moeda norte-americana era negociada em queda de 3,8451 na venda. Veja mais cotações.

Na sexta-feira, o dólar fechou em queda de 0,39%, R$ 3,8691, mas acumulou alta de 2,38% na semana. Em 2019, no entanto, acumula leve queda de 0,13%.

O Banco Central realiza nesta segunda-feira leilão de até 14,5 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de abril, no total de US$ 12,321 bilhões.

Variação do dólar em 2019Diferença entre o dólar turismo e o comercial, considerando valor de fechamentoEm R$Dólar comercialDólar turismo (sem IOF)28/123/17/19/111/115/117/121/123/128/130/11/25/27/211/213/215/219/221/225/227/21/37/33,63,73,83,944,1Fonte: ValorPro

 

Cenário local e externo

 

Está prevista para quarta-feira, segundo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a instalação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), primeiro colegiado que apreciará a reforma da Previdência.

A expectativa é de que, a partir desta segunda-feira, líderes das bancadas comecem a indicar formalmente integrantes da comissão para que ela possa ser instalada

Na sexta-feira, o porta-voz da Presidência disse desconhecer um mapeamento de votos favoráveis à reforma da Previdência no Congresso após declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que faltariam 48 votos para se chegar ao total necessário para aprovação, destaca a agência Reuters.

 

O mercado também digere o anúncio feito por Guedes, em entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo", de que o governo pretende apresentar em breve ao Congresso uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para desvincular o orçamento e acabar com gastos obrigatórios.

No cenário externo, o mercado analisava dado de vendas do varejo nos Estados Unidos. Apesar de uma alta em janeiro, os números dezembro foram revisados para um número bem mais fraco, no desempenho mais fraco desde dezembro de 2009, quando a economia estava saindo da recessão.

Os investidores também monitoram novos indícios de desaceleração na economia global, e ainda permanece o sentimento de cautela, após sinalizações na semana passada que levaram mercados acionários e moedas a níveis mínimos.

No domingo, o presidente do banco central chinês prometeu mais apoio à economia, com novos estímulos, após dados mostrarem uma queda acentuada nos empréstimos bancários de fevereiro.

  Fonte: https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/03/11/cotacao-do-dolar-em-11032019.ghtml