Dólar opera em alta à espera do Fed e do Copom

Leia Mais

+55 (41) 3223.2828

Taxas de Câmbio

Dólar opera em queda, atento à China e após dados dos EUA

Dólar opera em queda, atento à China e após dados dos EUA

No dia anterior, a moeda norte-americana fechou em queda de 0,1%, vendida a R$ 4,1094.

Por G1

06/09/2019 09h03  Atualizado há 12 minutos

  Notas de dólar em casa de câmbio em Jacarta, na Indonésia. — Foto: Hafidz Mubarak/ReutersNotas de dólar em casa de câmbio em Jacarta, na Indonésia. — Foto: Hafidz Mubarak/Reuters

Notas de dólar em casa de câmbio em Jacarta, na Indonésia. — Foto: Hafidz Mubarak/Reuters

O dólar opera em queda nesta sexta-feira (6), em dia positivo para moedas de risco no exterior após a China adotar medidas para estimular a economia e após dados do mercado de trabalho dos EUA, com a expectativa ainda do discurso do chairman do Fed, Jerome Powell, para esta sexta.

Às 9h49, a moeda norte-americana caía 1,01%, vendida a R$ 4,0678. Veja mais cotações. Na mínima, chegou a cair a R$ 4,0704.

No dia anterior, a moeda norte-americana fechou em queda de 0,1%, vendida a R$ 4,1094.

Variação do dólar em 2019Diferença entre o dólar turismo e o comercial, considerando valor de fechamentoEm R$Dólar comercialDólar turismo (sem IOF)28/129/117/128/15/213/221/21/313/321/329/38/416/425/046/514/522/530/57/617/626/64/715/723/731/78/816/826/83/93,63,844,24,4Fonte: ValorPro

O banco central da China anunciou nesta sexta, pela terceira vez neste ano, redução da quantidade de dinheiro que os bancos devem reter como reservas, liberando um total de 900 bilhões de iuanes (US$ 126,35 bilhões) em liquidez para dar fôlego à economia em desaceleração.

A China e os Estados Unidos concordaram na quinta em manter negociações de alto nível no início de outubro em Washington, animando os investidores que esperam uma resolução da guerra comercial, já que as novas tarifas dos EUA sobre bens de consumo chineses não param de prejudicar o crescimento global.

Essas seriam as primeiras discussões presenciais de alto nível desde que uma fracassada reunião sobre comércio entre os dois países no final de julho levou o presidente dos EUA, Donald Trump, a prosseguir com novas tarifas sobre praticamente todas as importações chinesas remanescentes e até então intocadas pela guerra comercial.

Dados do mercado de trabalho dos EUA divulgados nesta sexta mostram que a economia dos Estados Unidos gerou, em termos líquidos, 130 mil empregos em agosto. Os EUA criaram 20 mil empregos a menos em junho e julho do que o relatado anteriormente.

 Fonte: https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/09/06/cotacao-do-dolar-06092019.ghtml